Páginas

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Consumo energético



       O metabolismo refere - se a todas as reações químcas das biomoléculas que ocorrem dentro do nosso organismo, englobando tanto a síntese ( anabolismo, em que os nutrientes são reunidos para formar macromoléculas como proteínas e ácidos nucléicos ) quanto a degradação ( catabolismo, em que carboidratos, gorduras e proteínas são fracionados em monossacarídeos, aminoácidos, ácidos graxos e glicerol para liberação de ATP ).

Os principais fatores que afetam o dispêndio diário total de energia são :

1. Taxa metabólica de repouso: condições basal e durante o sono

2. Energia gasta durante a atividade física

3. Efeito termogênico dos alimentos ingeridos

Clima, gestação, lactação, febre também são fatores que podem ser considerados.
 
 
 
       
 
        A taxa metabólica basal (TMB) consiste no nível mínimo de energia necessária para manter as funções vitais do organismo no estado de vigília. A TMB reflete a produção de calor pelo organismo sendo determinada indiretamente medindo-se o consumo de oxigênio sob condições bastante rígidas. Com isso, são estabelecidas importantes bases energéticas para a construção de um programa para controle de peso através da dieta, do exercício ou da junção de ambos. Para que essa estimativa seja feita, o indivíduo deve, por exemplo, estar em estado de jejum por pelo menos 12 horas precedentes e não ter praticado nenhum tipo de atividade física por várias horas antes da realização do teste. A TMB varia de acordo com o sexo, peso, altura, idade e nível de atividade física praticada pelo indivíduo. 
       A taxa metabólica de repouso ( TMR ) é superior a TMB, pois considera a atividade muscular anterior. No cálculo, é considerada a energia gasta para a realização de funções involuntários do organismo, como contração do coração, respiração, produção e secreção de hormônios, etc. Para estimar o gasto energético em repouso de uma pessoa, deve - se aplicar a chamada " lei da área superficial ", na qual o valor apropriado da taxa metabólica basal deve ser multiplicado pela área superficial, calculada a partir da estatura e do peso. Numerosas pesquisas forneceram dados sobre os valores médios da TMB para indivíduos do sexo masculino e feminino através de extensa gama de idade e peso corporal, revelando que a TMB é, em média, 5 a 10 % mais baixa nas mulheres que nos homens. Isso ocorre principalmente porque as mulheres em geral possuem mais gordura corporal que os homens de tamanho semelhante. Como o tecido adiposo tem uma atividade metabólica mais baixa que o músculo, percebe - se essa pequena diferença nos valores da TMB. A medida que se envelhece, pode haver uma diminuição na atividade metabólica dos tecidos magros do organismo, contribuindo para o aumento da gordura corporal com o passar da idade. 
       O exercício físico feito de forma regular afeta, além da composição corporal, o metabolismo de repouso. O gasto energético em atividade física leva em consideração a energia gasta em atividades físicas diárias leves, moderadas e intensas, sendo responsável por 15 a 30 % do gasto energético total do individuo. Diferentes órgãos despendem quantidades diferentes de energia durante o repouso e a prática de exercícios. Em repouso, os músculos geram cerca de 20 % do gasto energético total do corpo. Já durante o exercício explosivo, a energia gasta pelos músculos pode aumentar mais de 100 vezes acima de seu valor de repouso. A frequência cardíaca é um bom indicador da dificuldade relativa da atividade física, pois proporciona uma estimativa do consumo de oxigênio e, consequentemente, do dispêndio de energia durante o exercício. Pode - se estimar a dificuldade da atividade física de acordo com sua intensidade:

1. Trabalho moderado: para homens é aquele que dá origem a um consumo de oxigênio até três vezes maior que a demanda em repouso.

2. Trabalho pesado : aquele que requer seis a oito vezes o metabolismo de repouso.

3. Trabalho máximo :  considerado como qualquer tarefa acima de nove vezes do nível de repouso.


     O consumo de alimentos em geral eleva o metabolismo energético. A termogênese induzida pela dieta ( TID ) representa de 5% a 15% do gasto energético total, o que indica sua importante função na regulação do balanço energético e do peso corporal. Tem o conteúdo calórico e a composição da dieta como importantes reguladores na produção de calor corporal. A TID possui dois componentes :

1. Termogênese obrigatória : caracteriza - se pelo gasto energético necessário para digerir, absorver e utilizar os nutrientes alimentares pelo consumo de ATP (adenosina trifosfato, responsável pelo armazenamento de energia em suas ligações químicas).

2. Termogênese facultativa : ocorre pela ação do sistema nervoso simpático (SNS) e com seu efeito estimulante sobre a taxa metabólica.
 
 
       
 
      Os fatores ambientais também influenciam a taxa metabólica de repouso. O metabolismo em repouso de pessoas que vivem em um clima tropical em geral é de 5 a 20 % mais altos que os valores de pessoas que vivem em áreas com clima temperado. O consumo de oxigênio durante a realização de atividades físicas em locais de climas tropicais é mais elevado, o que também influencia a carga metabólica. Por outro lado, em locais frios, a taxa metabólica em repouso pode aumentar em até 5 vezes, devido ao ao estresse induzido pelas baixas temperaturas. No exercício, esses efeitos são ainda mais evidentes diante da dificuldade do organismo em manter uma temperatura central estável nesse tipo de ambiente. 
       O gasto calórico necessário para se levar uma gestação até o fim é de aproximadamente 80.000 calorias. Isso é necessário para suprir o crescimento e desenvolvimento fetal, aumento de útero, mamas, estoques de gordura e aumento dos sistemas cardiovascular, respiratório e urinário. Por isso, durante a gestação é necessário um maior consumo alimentar, pois seu gasto energético também será maior.
       O consumo diário total de energia é, em geral, de 2.900 kcal para homens e de 2.200 kcal para mulheres entre 19 e 50 anos de idade. Existe considerável variabilidade entre cada individuo para o dispêndio energético diário, com a maior variação sendo determinada principalmente pelo nível de atividade física exercido pela pessoa.

 

Referências bibliográficas :

Fisiologia do exercicio - William Mcardle, Frank Katch e Victor Katch

http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_frame.asp?cod_noticia=543

A termogenese induzida pela dieta - Silvia E. Yoshioka, nutricionista-UTFPR/DV

http://filhosecia.uol.com.br/2010/10/por-que-sentimos-tanta-fome-durante-a-gravidez/

http://www.fsp.usp.br/~marlyac/gastoenergetico.pdf
                                                                                           Postado por Juliana Andrade


 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário